30 de Dezembro de 2009

Feliz Ano Novo a todos!!

Mais uma voltinha

Tive saudades disto. De escrever, contar coisas, mas também tive muita preguiça, muito cansaço, muita falta de motivação e de imaginação. Tenho tanto para contar e ao mesmo tempo tudo se me escapa! Aos poucos chego lá.

Para começar o Ano Novo numa página fresca.

(ocorreu-me que tenho estes repentes em fases determinantes da vida)

20 de Outubro de 2008

Coisinhas que me irritam

Se calhar sou eu, mas eu já estou a ficar fartinha desta gente que anda na estrada. Mas fartinha até à ponta dos cabelos, mesmo os espigados.

Mas nem tudo é mau.

Este sábado tive a RARA oportunidade de poder dizer o que penso à pessoa que cometeu a infracção ou a indelicadeza rodoviária.

O que se passou foi o seguinte. A minha querida mãe pediu-me o favor de ir levar a cadela dela (a Margarida) ao Vet para tomar banho. Resolvi ir a pé porque aproveitava a caminhada e a Margarida que é uma cadela de casa que nunca sai à rua aproveita para apanhar ar nas ventas. De forma que íamos as duas contentes por essas ruas fora, ela a cheirar tudo e eu a puxar a trela com força para ela me acompanhar. A dada altura temos de atravessar a rua. Claro está, opto pela passadeira, que supostamente é um "espaço" reservado à passagem e protecção dos transeuntes. Lá vamos nós todas contentes, quando vem um carro branco (velho) disparado não sei de onde, já nós íamos a meio da passadeira, e não pára. Pude ver de relance que era uma senhora de uma "certa idade", nem velha nem nova, ali no meio. Pois a senhora "de uma certa idade" teve a distinta lata continuar a acelerar como se ninguém estivesse ali. E eu que pensava que essas respeitáveis senhoras não faziam coisas destas. Com isto quase atropelou a Margarida que ia um pouco mais à frente e pregou-me um valente susto. Ainda gritei "Isto é uma passadeira minha senhora" mas mais por desabafo porque sabemos nunca ninguém nos ouve ou então fingem que não ouvem.

Agora a parte interessante, a pièce de resistance.

A senhora mal educada, que pensava se ter livrado da minha pessoa, uma simples melga que desabafou uma insignificância qualquer enquanto fazia o seu trajecto, teve o azar de apanhar um semáforo mesmo ali à frente e que, mas uma vez, por azar ficou vermelho. A senhora não sei o que pensou naquele momento. Eu sei o que pensei: "Vou lá dizer umas verdades àquela tonta". E fui, decidida a descarregar a figadeira ali mesmo. Confesso que sou um pouco implusiva e não consigo ficar calada perante injustiças sociais e outras que mais, mas aqui não fui impulsiva, não precisei ser. Continuei calmamante o meu trajecto até chegar perto do carro, que ainda se encontrava parado no semáforo (há dias de azar para algumas pessoas, esse dia foi o dia de azar para aquela senhora que devia estar a rezar para que a fila andasse). Quando cheguei perto do carro, verifiquei que a senhora tinha o vidro subido. Devia estar a pensar que me calava. Bati 3 vezes no vidro do carro, a senhora olhou para mim meio perplexa meio assustada e eu disse-lhe (entretanto já havia mais uns quantos carros atrás)

"Olhe, para a próxima parte-lhe a boca toda, está bem".

E segui o meu caminho com a Margarida e nem olhei para trás.

Deduzo que a senhora deve ter ficado no mínimo constrangida. Espero que tenha pelo menos ficado constrangida. Não esperei que ficasse cagadinha de medo porque eu com aquela cadela minúscula, diga-se de passagem não metíamos medo a ninguém.

História verídica.


30 de Setembro de 2008

87 mil maneiras diferentes de beber o seu café

A cadeia norte-americana Starbucks abre a primeira loja em Portugal, mais precisamente no centro comercial Allegro em Alfragide. Hoje é o dia de inauguração, espera-se uma grande afluência ao local. Já sabemos como é o povo com as novidades, ainda me lembro da abertura do primeiro McDonalds em Lisboa, toda gente dizia mal mas estava lá tudo caído para experimentar o belo do hamburger.

Eu sou fã da Starbucks (principalmente porque tem o mesmo nome de um nos meus herós preferidos da televisão, da lendária série Battlestar Gallactica) e vou ser sem dúvida cliente habitual, mesmo que tenha de me deslocar a Lisboa.

Estou muito curiosa para provar o famoso Frappuccino de que tanto se fala, mas vou esperar uns dias até aquilo acalmar.

29 de Setembro de 2008

Decisões

Quais são as melhores decisões? As que são tomadas no ímpeto de um momento, ou as que são cuidadosamente estudadas e preparadas?

Não sei a resposta para essa pergunta. Mas tenho constatado que na vida as minhas melhores decisões foram as que nasceram de um impulso, de uma vontade imensa de mudar, de passar para a fase seguinte, de sair do mesmo lugar. Quando digo "melhores decisões" não quero com isso dizer que essas decisões, essas escolhas mais tarde, numa outra altura de minha vida não me venham atormentar, quero dizer que essas decisões deram-me frutos que pude colher e verificar que os passos que damos na vida têm sempre um porquê, têm sempre uma razão de ser e se tivermos o impulso, o instinto quase incontrolável de seguir um caminho, de abrir uma determinada porta, é porque algo nos espera no final desse caminho, é porque algo de importante vai nascer dessa opção que tivemos.

Mas no momento de decidir, há sempre a dúvida. Vou, não vou, fico, não fico. Nada é certo. Mas é preciso arriscar e seguir essa vozinha que nos diz que temos de mudar.

E eu vou segui-la.

25 de Setembro de 2008

Pois é....

Acabei por não desenvolver o tópico do concerto da Madonna e deixei o desgraçado do Jason Braz a tocar. Não é mau, mas podia escrever qualquer coisita não?

Pois podia...já volto.

15 de Setembro de 2008

Tópicos a desenvolver (ou não) sobre o concerto de Madonna

2 horas de espera antes da abertura dos portões, seguranças armados em bons, amiguinhos ursos que nos ajudaram a utrapassar o trauma das duas horas de espera, pessoal a querer cortar a fila, a malta a não deixar, muito sol, feira nova tão perto e tão longe, dois quilómetros de fila, "we have tickets" à entrada, pulseiras vip que a que não tivemos direito, zona "vip" circunscrita para pessoal com as tais pulseirinhas, cerveja cara-cerveja entornada, pastilha elástica no ténis, Robyn (muito bom), finalmente, pontualmente, Madonna do tamanho de uma formiga, câmaras de filmar, braços no ar com câmaras de filmar, pessoas altas, câmara sem bateria, quase-porrada, quase-desmaios, ecrã gigante que flutuava com o vento, metro fechado, autocarros escassos, caminhada estrada fora... etc

(quando tiver mais tempo desenvolvo...)

13 de Setembro de 2008

Tic Tac

Falta um dia para o acontecimento do ano.

Vou fica em casa sossegadinha não vá um vaso cair-me em cima ou um autocarro levar-me por arrasto, não vou comer nada que me possa dar caganeira ou uma valente intoxicação alimentar (ok já comi um sunday hoje, tem natas espero que não se passe nada), não vou aventurar-me em arrumações aqui em casa não vá torcer o pé ou coisa que o valha. Não posso arriscar NÃO ir a este concerto, portanto, em casa sossegadinha a beber muitos líquidos e preparar-me psicologicamente para a azáfama que vai ser o dia de amanhã.

12 de Setembro de 2008

Falta pouco

Contagem decrescente para o concerto do século.

Estou que não me suporto!

Cabelos brancos

Sempre ouvi dizer que para cada fio de cabelo branco que arrancamos, crescem sete. Até há não mito tempo tinha a mania de arrancar um ou outro que sorrateiramente espreitava por entre os cabelos negros. Arrancava-os, nunca liguei a esse ditado. O que é certo é que eles cresceram como se fossem cogumelos em terra fértil. Hoje com 36 anos (a caminhar velozmente para os 37) reparo que já não tenho apenas feios de cabelo branco solitários que se perdem no meio do negro, mas sim uma discreta madeixa que teima a formar-se bem no cimo da testa, tornando quase impossível a tarefa dos os disfarçar.

Mas não responsabilizo o ditado e o facto de ter arrancado os solitários cabelos brancos de outrora. Simplesmente cheguei à conclusão que chegou a altura de eles começarem a desabrochar em todo o seu esplendor. Podia ser pior, podiam ser verrugas, essas eu não iria conseguir suportar do alto dos meus 36-quase-37 anos.

Dois sentimentos opostos invadem a minha alma todas as manhãs quando me olho ao espelho e me deparo com esta nova realidade, esta nova etapa da vida. Primeiro a indignação. Que feios que são estes malditos cabelos brancos, bolas não vão com nada. A seguir vem a resignação. Estão ali como espécie de medalhas representado sabedoria, experiência, maturidade e enfim, a chegada do outono da vida. Se não for isto, são as preocupações penso, isso as preocupações dão cabo de uma pessoa. Contemplo-os mais uma vez e outros sentimento rasga abruptamente o sereno momento de resignação. A negação. É preciso minimizar os estragos. Vou ter de disfarçar toda esta sabedoria, vai muito mal com jeans. A maturidade não tem de ser representada por meros fios de cabelos prateados. Simplesmente é. Portanto, decido que vou pintar o cabelo de uma cor que confira um ar mais fresco à minha pessoa.

Agora o dilema. De que cor vou pintar os sábios cabelinhos brancos que teimam em aparecer no meio do escuro? Tenho que pensar muito bem.

Sempre quis ser ruiva.

Elogios

Porquê que quando engordamos uns quilitos as pessoas estão logo prontas para exclamar "estás mais gordinha!", mas quando a muito custo conseguimos emagrecer, para além dos elogios demorarem a chegar, quando chegam é na forma de um "estás mais magra...estás doente?".

Haja pachorra.

Não é o meu caso (ainda). Apesar de ter conseguido emagrecer umas gramas, ainda não chegaram. os tais elogios. Para dizer a verdade, prefiro que estejam caladas.

10 de Setembro de 2008

Gripe tropical

A minha cunhada trouxe uma gripe de Cabo-Verde como eu nunca tinha visto. Chegou e arrasou com a família inteira. A malta teve febres, diarreias, vómitos, calafrios, dores musculares enfim uma panóplia de sintomas agradáveis. Felizmente, o vírus enfraqueceu e permitiu que voltássemos ao nosso quotidiano.

Gripes tropicais, fujam a sete pés delas.

8 de Setembro de 2008

Constipação

“Tenho uma grande constipação,
E toda a gente sabe como as grandes constipações
Alteram todo o sistema do universo,
Zangam-nos contra a vida,
E fazem espirrar até à metafísica.
Tenho o dia perdido cheio de me assoar.
Dói-me a cabeça indistintamente.
Triste condição para um poeta menor!
Hoje sou verdadeiramente um poeta menor!
0 que fui outrora foi um desejo; partiu-se.

Adeus para sempre, rainha das fadas!
As tuas asas eram de sol, e eu cá vou andando,
Não estarei bem se não me deitar na cama
Nunca estive bem senão deitando-me no universo.

/Excusez un peu/… Que grande constipação física!
Preciso de verdade e de aspirina.”


Fernando Pessoa

5 de Setembro de 2008

Magra

Consegui finalmente vestir as minhas Levis antigas. Mas não me chega. Quero caber nelas e sentir que me estão largas.


A propósito...

28 de Agosto de 2008

Good Times

Love this song



Everybody shake
Everybody groove
Everybody shake

Mary, Mary, you're on my mind
The folks are gone and the place'll be mine
Mary, Mary, wanna be with you

And this is what I'm gonna do
I'm gonna put a call to you
'Cause I feel good tonight
And everything's gonna be right, right, right

I'm gonna have a good time tonight
Rock and roll music gonna play all night
Come on, baby, it won't take long
Only take a minute just to sing my song

Boney Moroney's gonna be with him
I said, Long Tall Sally's gonna be with Slim
And Short Fat Fanny's gonna, she's gonna be there too

And this is what I'm gonna do
Well, I've got to put a call to you
'Cause I feel good tonight
And everything's gonna be right, right, right

I'm gonna have a good time tonight
Rock and roll music gonna play all night
Come on, baby, it won't take long
Only take a minute just to sing my song

Boney Moroney's gonna be with Jimmy
Long Tall Sally's gonna be with him
And Short Fat Fanny's gonna be there too

And this is what I'm gonna do
I've got to put the call to you
'Cause I feel good tonight
And everything's gonna be right, right, right

I'm gonna have a good time tonight
Rock and roll music gonna play all night
Come on, baby, it won't take long
Only take a minute just to sing my song

27 de Agosto de 2008

Errata

A Ana chamou-me à atenção para o facto de o filme Into the Wild NÃO ter passado directamente para DVD. Passou no cinema, eu é que estive desatenta!

Obrigada!

O meu filho está a adorar isto

Estava eu a passear pelo blog do meu querido Bruno Nogueira quando me apareceu o vídeo de uma canção de uma tal Lykke Li e o meu Bruno ficou histérico.

Mas quem vem a ser esta ilustre senhora? Pois, não sei, vou googlar e já vos digo (ou não, vocês também têm dedinhos não?)



EDITEI para dizer que fui googlar a e cheguei à conclusão que a Lykke não é bem a minha praia. Mas fica aqui o link do Myspace da Lykke Li para quem quiser investigar.

Into the Wild

Normalmente não encomendo livros pela internet, mas vi-me tentada a mandar vir o livro Into the Wild do autor norte-americano Jon Krakauer, depois de ter visto o filme com o mesmo título. Fiquei tão afectada com a história verídica de Christopher McCandless, ("Alexander Supertramp"), que resolvi que tinha de ler a aventura dele no Alasca com mais pormenor. Mais tarde falarei sobre este filme, que por razões que desconheço e não entendo passou directamente para DVD.

Apesar dos riscos de que todos falam em encomendar coisas online, lancei-me ao desafio. Obviamente já tinha tentado a Fnac, mas o título não estava disponível, e como não tive pachorra para ir à procura em outras livrarias, resolvi recorrer ao Amazon.com.
Um pormenor interessante e que desconhecia é que no Amazon também vendem artigos em segunda mão, por uma bagatela. Descobri que o livro novo custava à volta de 15 dólares, mas que havia o mesmo livro usado por 2 dólares, isso mesmo, 2 dólares. Isto até seria cómico se não tivesse o detalhe trágico de termos de pagar 12 euros de portes. Mesmo assim, fica mais barato se tivesse comprado na Fnac, demora é mais tempo (e daí até não).